8.8.05

o som e o silêncio



o rádio a pilhas
com música clásscia dentro
chamusca o ar de violinos
fanhosos e árias com interferências

situo-me na horizontal,
imaginando o barulho do rádio,
se estivesse ligado

e oiço de memória
várias melodias de vários compositores
que amo com maravilhamento,

a música é uma dádiva
e quando estamos noite dentro
em profundo silêncio
podemos ainda ouvir a reverberação
dos acordes e das sinfonias
ainda a ecoarem nas profundezas
das células

só, e em silêncio,
é que se pode escutar
pela memória, a verdade
da música

50 comentários:

rafael disse...

o cristo e a mãe foram pintados pelo chagal.

méeeeeeeeeeee

Anónimo disse...

esta ideia é como aquela do pianista que deu um concerto e não tocou nada, pá! como é que o gajo se chama?

hamly

Anónimo disse...

Só agora é que dei conta. não há fausto neste poema, não há porrada nem depressão batráquia.

hamly

rafael disse...

olá hamly, o fausto está no inferno de férias. o gajo que se aguente.
a ideia do pianista chama-se 1,44 minutos para piano de john cage. o john cage gostava de fazer essas piadinhas para piano.

Anónimo disse...

Com muitas maneiras de se ler este poema, acho que está um espanto, com gemidos de violino e outros sons ocultos ;)
Pi

Anónimo disse...

O Fausto não está no inferno, está simplesmente a descansar os neurónios. :P
Pi

Anónimo disse...

Irra!!ESqueci-me beijo ao querubim!!!
Pi

Anónimo disse...

Irra 2 , e já agora ao Fausto!!

Anónimo disse...

Irra 3!!! Raios e já agora ao Rafa!!

Anónimo disse...

nessa piada o john cage comunica o silêncio, pá! é isso precisamente que comento ;D

o fausto... férias? boa ;D lol


hamly

Anónimo disse...

Pois, dos cage, eu prefiro o Nicholas... Já dos silêncios, eu prefiro o do poema, acho que comunica mais. O outro era caso para pedir o dinheirinho de volta, uma piadinha pode dizer-se, tanto ao agrado do cage, nem que fosse para compensar a gasolina. Lol!

Cal Purnia

arlindo disse...

onde é que tá a mãe!? é a de branco?!

Anónimo disse...

Pois é... a mãe é a de branco uma anja!!!!

arlindo disse...

pois é, logo vi, tem a as têtinhas cheinhas de leite, uma anja da generosidade!

Anónimo disse...

A mãe é o talmude (num sentido figurado), o talmude que ele carrega, o passado presente, a memória, o barulho. É a mesma coisa no silêncio do poema, o silêncio está impregnado dos barulhos ausentes.

(A Nossa Senhora morreu depois de Jesus Cristo. Como é que a Nossa Senhora é a anja?! A anja representa o lado divino de Jesus Cristo, essa ligação com o céu, ele é um ser semi-divino. Pelo talmude vê-se logo que a tela representa a fase das dúvidas, antes da iluminação).

arlindo disse...

A deusa da generosidade e a Nossa Senhora são uma só. A de branco é a mãe!

arlindo disse...

Ela(s) alimenta(m) com os seus peitos fartos e fortes.

Anónimo disse...

"caules cartilaginosos
carnudos e cheios de seiva"

erótico.

Anónimo disse...

"caules cartilaginosos
carnudos e cheios de seiva"

erótico.

(enganei-me. este comment era pó previous poem).

Anónimo disse...

Já vi que estão todos com o Verão HAHAHAHA!!!

xico disse...

A mãe de quem!?? Haaaaa! Ha! Ha! Ha! Ha! Ha! "O Cristo e a mãe". Não disse de quem era a mãe Ha! Ha! Ha! Ha!

xico disse...

Dá-me ideia que os silêncios do Cage e do Dionisio são diferentes

Anónimo disse...

Hum acho que o comentario do anonimo de 09/08/2005 tá corecto a mãe nao pode ser a anja.....Enganei-me!!!
Pi

Zé Portofino disse...

Bom trabalho Rafael!! ;)
Pi qual... deusa da generosidade ou o talmude?!

Zé Portofino disse...

O Chagall punha quase sempre anjinhos e animais e outras coisas tais que mais parecem uma reminiscência do pan e um cristianismo aparente, ou é tudo no mesmo debaixo da religiosidade. lol. É preciso vê-lo à luz da época... O Expressionismo. Será??!!!

De que maneira se vê o Rafael à luz da sua época??!!! Será que isto interessa mesmo para alguma coisa??!! lol.

Zé Portofino disse...

Ainda por cima, o Cristo tá de botas!!! lol

Zé Portofino disse...

O que interessa é o sentimento!!!

Anónimo disse...

O cristo tá com uma crise da valores (crise de valores da Europa).
Expressionismo há 100 anos.

Anónimo disse...

Botas, industrialização.

Amilcar disse...

Ó Zé se só o sentimento interessasse podia se dizer que o Jesus tá cansado do talmude com o medo que o roubem, as botas vão bem com o vestido, a vaca é sobredotada sabe tocar violino e pelo tamanho do leite nelas já não é virgem, o anjo ia de pssagem foi apanhado na "fotografia" por acaso, o clarão ao lado do jesus é o espirito à espera de poder entrar nele e pelos telhados que vejo não se passou há 2000 mil anos.

amilcar disse...

errata:
esqueci-me de pôr santo à frente de espirito.

Zé Portofino disse...

Ora, aí está, não vejo sentimento nenhum na tua interpretação!!

As botas também se fazem à mão!!

xiclas disse...

o gajo era eslavo provavelmente não se lembrou dumas sandalitas romanas... provavelemnte até lhe sairam mal de maneira que disfarçou tudo com um borrão de botas LOLOLOL

Anónimo disse...

Em que corrente cultural/estética se insere o Dionisio? Qual é a de agora? Ainda é simplesmente contemporânea?

zzzzz disse...

Os Expressionistas usavam formas mais simplicadas... daí as "botas"...

escaravelho dourado disse...

100 anos!!!! Não se nota!!!!

cascos de rolhas disse...

“A metáfora assinala sua entrada triunfal na pintura moderna apenas por intermédio de Chagall”
Atenção malta, o Chagall não se situa unicamente no Expressionismo. O Chagall não se situa especificamente numa corrente artistica.

Anónimo disse...

hoje em dia ainda se simplifica mais, simplifica-se tanto que nem vejo as botas a não ser que seja algo conceptual e pendurem uns ténis da nike.

urraca

Anónimo disse...

sim, qual é a corrente do Rafael?

urraca

Anónimo disse...

Hoje em dia tu vês é muita neurose em exposição!

Não faço a minima ideia... Qual é a corrente do Rafael?!

hidroavião disse...

... o silêncio... tou a ouvir montserrat cabballé...

hidroavião disse...

...cheira-me a rosmaninho... hum o silêncio...

Gostei! ;D

Anónimo disse...

"e outros sons ocultos"

romantico. erótico.

Anónimo disse...

Por silencios!!onde anda o querubim?
Pi

Anónimo disse...

O silêncio é uma coisa muita boa, muito melhor depois da alquimia do amor, oxalá a encontres, Fausto; boas férias!

Pi :)
Beijos e flores.

Querubim

rafael disse...

a minha corrente é a do "pós-modernismo luso e o neo-saramagismo trans astrológico."

comprei um saco de boxe e já ando a enfardar no dito saco.

ando a ler o g¨nter grass, o tambor. que é um livro genial.

talvez o livro mais me tenha impressionado este ano tenha sido o korrection do thomas bernhard.

ainda não tenho um gato.

Anónimo disse...

LOL :D

Anónimo disse...

seu eu fosse artista, eu é que que não gramava nada que me metessem numa corrente dessas, artistica quero eu dizer!

Anónimo disse...

"pós-modernismo luso e o neo-saramagismo trans astrológico."

LOL , onde arranjaste isto? LOL
não era mesma que coisa que nova era?! agora chamam nova era a tudo. pode acontecer o risco de um pós-pós-modernismo, LOL, por falta de imaginação pa nomes?! talvez por falta de movimento na arte LOL! Epá, não é uma critica ao teu trabalho, é antes um reparo do marasmo geral, eu pessoalmente acho que há um marasmo geral. esses livros são interessantes porquê?! do que é que falam?! pra mim um grande livro são as anedotas do bocage, Conheces?!

João Passos Dias Aguiar

Ava Gina disse...

Ena!!!!!!! :D