26.11.08

elogio do plutónio








a quimioterapia
um pôr-do-sol inesquecível
um gato a dormir no estado líquido
cloreto de sangue, magnésio difuso

as cinturas de van allen
segredos, tabus, esconderijos
sismo provocado em laboratório
durante a noite, espasmos de luz
sonhos, pesadelos, perversidades

vestígios arqueológicos com ossadas
as flores a crescerem num labirinto
bomba à beira da auto-estrada
bolsas com tendência positiva
pulso torcido durante a escrita

o sorriso de uma jovem mulher
o número de passageiros total
derrame cerebral ainda operável
viagens em saldo, paraísos tropicais
a poesia é uma gravidez ectópica
uma pessoa com problemas mentais
um homem morto nos esgotos
e outras novidades editoriais

2 comentários:

Anónimo disse...

Fabuloso, miúdo!

Beijinhos

conchinha

Dinis Lapa disse...

Aqui está um poema esbaforido, enumerado e uma questão: a poesia é uma gravidez fora do sítio?

um abraço