9.9.08

notícias do labirinto


notícias do labirinto

as gaivotas gritam hienas
o jardim sonho dos peixes
o fogo lento, réptil vermelho
grânulos de luz contra a parede

cortinas grandes, o teatro da infância
sonhos, o vento, e as heresias
céu ferrugento, nuvens como musgo
campânulas de voltar ao passado
cotovelo de estrada, braço de mar

ir por muitos caminhos ao mesmo tempo
envelhece-se todos os dias
flores frias, notícias do labirinto
estrelas subterrâneas, janelas e corredores
a pulsação do sangue nas carótidas
som suspenso de automóvel ausente

abres a boca e lá dentro “labirinto”
mitos e ovos de vermes ninho cova
os caminhos que se rectangularizam
a inconsciência do centro
um vulcão é uma janela
as veias do mundo

3 comentários:

Ego. disse...

Escrita forte!!!
Descobri esse espaço não sei como... Gostei da emoção das suas palavras!!!

Até!

Dinis Lapa disse...

Somos como os ratos. Entramos em labirintos de pó e perdemo-nos em avalanches de cinza putrificada.

Ou

Somos como a luz e iluminamo-nos ao longo dos caminhos labirínticos e encontramos sempre a entrada e a saída.

Ou

Ou

Ou


um abraço

maria disse...

muito bonito, sim.