23.7.08

o túmulo de um deus


falésias apinhadas de electricidade
um homem numa caverna
tocando saxofone
o coração está suspenso
entre o horizonte e o sonho
dedos investigam a areia

o ser para a morte
desenhos e riscos acerca de nada
um cargueiro que agoniza no porto
arco-íris e limão sobre sarcófago
duas ou três luas submarinas
solenes palmeiras, quilómetro a quilómetro
convalescença com figura humana
nunca chegar a conhecer
perder os tornozelos, abdicar
laranja, nascer do sol, túmulo

medo das doenças
tantos caminhos, tantas soluções
cornijas, albatrozes, raízes,
respirar antes do sonho
levitar por cima dos prédios
desistir para poder descansar

3 comentários:

rafael disse...

o boneco é u mavião pintado por gerhard richter, um dos pintores mais pintores da contemporaneidade recente hodierna moderna contemporanea...

Van disse...

Este texto está, na minha opinião, terrivelmente bem escrito... com uma escrita limpa e crua e brutal e incisiva... Apetece ler outra e outra vez para ficar com tudo na mente. Gosto imenso. Muito mesmo.

bj

Van disse...

"nunca chegar a conhecer"
"desistir para poder descansar"

adoro