26.8.07

a praia da adraga e eu

como eu,
o mar está fratricida...
(o mar é um homem revoltado)
entre a bruma de outubro
e as rochas batidas pelo sal,

a luz prateada e ofuscante,
a maré esvaziada de vontade,
e os penhascos em volta
espetam a barriga do vento,
a maré vazia cheira intensamente:
cheira a hiperbóreas regiões

o mar sorri-me aos trambolhões
como se estivesse bêbado e neurótico
a esmagar a cabeça contra a parede

e eu sou um animal revoltadonuma jaula
(firo-me nas grades ao arriscar sair)
mas se me quiseres ajudar,
podes ter a certeza:mato-te.

5 comentários:

Anónimo disse...

:) Adoro... o fim é mesmo teu.


Van

jorge vicente disse...

o texto está excelente. entretanto, tenho um desafio para ti no meu blog (http://jorgevicente.blogspot.com). escolhe um livro completamente marado que esteja ao pé de ti

e faz o exercício
um abraço
jorge

Maria disse...

ola,

gostei.
beijocas
o mar é um homem revoltado

maixa disse...

ola,

gosto.
o mar, "o mar é um homem revoltado"
beijocas
maixa

Anónimo disse...

??POR QUÉ NO TE CALLAS?? MEIRELES??

LOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOL